Quando a arte incomoda mais do que aquilo a que ela alude

O filósofo francês Jacques Rancière afirma que não há diferença entre denunciar a potência de uma imagem ou negá-la, pois os dois atos expressam a mesma ansiedade diante de sua potência, assim como o reconhecimento da mesma. Ao tratar também de iconoclastia, a filósofa Marie José-Mondzain compreende que todo poder tem suas imagens e recusa… Leia mais Quando a arte incomoda mais do que aquilo a que ela alude

Participação e coletividade na arte contemporânea japonesa

Em 2015, a artista japonesa radicada em Berlim, Chiharu Shiota, esteve no Brasil para realizar sua primeira exposição individual em solo latino-americano. Em Busca do Destino esteve em cartaz no Sesc Pinheiros, em São Paulo, de setembro de 2015 até janeiro de 2016, com curadoria da brasileira Teresa Arruda, e contou com a participação do… Leia mais Participação e coletividade na arte contemporânea japonesa

Humor diante do horror: narrativas anacrônicas de Carlos Contente

Histórias em quadrinhos são objetos de interesse de artistas visuais desde a década de 1960, a exemplo da Pop Art – movimento que coincide com a consolidação da cultura de massa e da indústria cultural nos Estados Unidos e Inglaterra. Intensifica-se, desde então, o interesse da arte por objetos de consumo, técnicas de reprodução de… Leia mais Humor diante do horror: narrativas anacrônicas de Carlos Contente

Alegoria – ou mula sem cabeça: a cidade que casou com o Bispo

Guga Ferraz realiza sua primeira individual na Artur Fidalgo Galeria apresentando trabalhos inéditos, realizados desde 2014. Reconhecido principalmente pelas intervenções de caráter crítico e dissensual que executa em espaços públicos desde o ano 2000, em sua exposição, composta por desenhos e esculturas, Guga não se desvencilha de seu processo de investigação sobre / na cidade,… Leia mais Alegoria – ou mula sem cabeça: a cidade que casou com o Bispo

Junho de 2013, 5 anos depois – Uma retrospectiva através da arte

Em 2018, assumi o desafio de ser um dos co-curadores da exposição Junho de 2013 – 5 anos depois, realizada no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica sob coordenação geral de Daniele Machado e Gabriela Lúcio. Falo em desafio porque realizar uma exposição que tenta historicizar fatos tão recentes, um processo histórico ainda em curso,… Leia mais Junho de 2013, 5 anos depois – Uma retrospectiva através da arte

Atelier Sanitário – Daniel Murgel e Leandro Barboza no Centro Cultural Phábrika

Em uma das ruas mais antigas do centro do Rio de Janeiro, situada na Zona Portuária, encontra-se o Atelier Sanitário, ponto de encontro dos artistas Daniel Murgel e Leandro Barboza, onde desenvolvem projetos individuais e coletivos, além de receberem outros artistas e amigos, o que torna o Sanitário mais do que um local de trabalho,… Leia mais Atelier Sanitário – Daniel Murgel e Leandro Barboza no Centro Cultural Phábrika